22 de out de 2007

Barbatuque e outras histórias...de emoção

Acostumada a uma certa letargia cultural, Caxias experimentou uma semana extraordinária, no período findo ontem. Além da Feira do Livro - a cada ano maior e mais bonita - que arrastou milhares de pessoas para a praça central de Caxias, vários shows locais e nacionais iluminaram a paisagem local. Como não pude comparecer a todos, gostaria de lançar algumas palavras sobre os que eu pude assistir. Na quinta, Vitor Ramil e Marcos Suzano deram uma aula de musicalidade e lirismo no Teatro São Carlos. A poesia pungente e repleta de imagens surpreendentes de Ramil somada às suas belas e melancólicas melodias fazem o espectador se despregar da cadeira sem se dar conta. Complementando, a usina rítmica de Suzano que utiliza-se de instrumentos percussivos acústicos e eletrônicos para forrar o palco com batidas certeiras e sons inesperados. Na mesma noite, Marco de Menezes lançou seu segundo livro de poesias "Pés de Aragem", na livraria Do Arco da Velha. Belíssima edição com uma coleção de pequenas preciosidades cultivadas por Marco ao longo de mais de seis anos. Na sexta, assistimos ao Grupo Barbatuque, um dos três da Caravana Cultural que presenteou Caxias. Maravilhoso! Não há o que dizer sobre esses caras. Você tem que assistir. O que eles fazem apenas utilizando o corpo, a voz e raramente um instrumento musical é emocionante. No domingo, após saber que os ingressos para o show do Tom Zé estavam esgotados, fomos eu e minha digníssima, alegres e faceiros, à Casa da Cultura para o espetáculo "Tango Síntese" com o Quarteto Oscar dos Reis e...lotação esgotada. Apesar da frustração, um gostinho de "as coisas estão melhorando" ficou no ar e nos fez imaginar que talvez estejamos realmente entrando numa nova era . Pois é, e você? Se despregou do sofá? Saiu da frente da TV? O mundo fica mais bonito quando deixamos a arte invadir nossa agenda. E nos faz ver que há sempre mais para ser descoberto.

Nenhum comentário: