1 de ago de 2007

O PODER DA PERSUASÃO - parte II

Certo mês ao receber a conta de telefone, notei que estava sendo cobrado de mim o valor de 14,90 pelo serviço do provedor de Internet, quando o acertado, por conta da tal promoção foi de 10 reais durante 12 meses!
“Juro que pensei duas vezes antes de ligar. Se valeria a pena por 4,90 mensais, iniciar novamente uma batalha de nervos com aquele pessoal. Cheguei a conclusão de que, se cada vez que vou ao supermercado, me incomodo por causa de um centavo, por que não me incomodaria por 490 vezes mais dinheiro. E isso por mês!”
Sabe, o problema não é quanto dinheiro! A atitude é o que conta! Disse um amigo certa vez que – se você sempre baixar a cabeça, um dia a bunda aparece.
Atendeu uma tal de Kelly, muito simpática como todos os atendentes anteriores. Pediu o número do telefone com o maldito DDD. Neste momento pensamentos ruins começaram a povoar minha mente!
Tudo de novo nãoooooo! – Adiantei-me e já comecei a explicar por que era eu quem ligava, se o telefone estava no nome da minha mãe!
Expliquei que o motivo era pela cobrança equivocada deles, que eu havia comprado o serviço na promoção por 10 reais mensais, pelo período de um ano, mas estavam me cobrando 14,90 e gostaria de saber o porquê! A menina foi muito atenciosa comigo e me pediu que aguardasse um pouco! Impulsivamente gritei do meu quarto:
mãe atrasa o almoço! – Eram 11h00 da manhã! A menina logo voltou a conversar comigo:
Denise, em que posso ajudá-lo senhor?
Mas não era Kelly! – Gritei por impulso, já pensando em emendar o telefone com o DDD.
Como senhor? – “Indagou ela sem entender bem o porquê do meu destempero”.
É claro que ela não estava entendo! Para eles, esse passa-passa de ligações, é normal!
Expliquei novamente o motivo pelo qual eu ligava! “Juro que pensei em emendar o seguinte: -Escuta aqui mocinha, nem ouse em transferir essa ligação para outra pessoa, que eu vou até ai e te dou umas palmadas.” Então ela me fez a seguinte indagação:
Senhor pode me fornecer o seu telefone com o DDD! – “Que voz doce - pensei - que angelical, que pergunta mais pertinente, e inteligente também. Essa eu nunca tinha ouvido!” hahahahahaha
“Pensei comigo mesmo: - Como deve ser a remuneração desse pessoal? Será que ganham salário fixo + comissão por cada vez que pedem o nosso telefone com o DDD? Ou então, chegar à meta de um milhão de pedidos de telefone com DDD é um dos requisitos para ganhar um plus no salário no final do ano?”
Chego a imaginar que, por mais demorados e hiper-burrocráticos que esses suportes por telefone posam ser, a simples ação de perguntarem para nós, uma única vez, os dados necessários, diminuiria pela metade o nosso stress. Com certeza as nossas ligações, de meia hora no mínimo, seriam um pouco menos traumáticas! Quem sabe eu não invento algum método para esta troca de informações entre as atendentes e ganho um bom dinheiro com isso.
Repeti novamente o telefone com o tal DDD para ela e de imediato já fui avisando que ele estava no nome da minha mãe, para evitar futuras complicações. Não adiantou muito dessa vez. Essa atendente exigiu o número do CPF da minha mãe!
Tudo bem! – disse eu, com a maior paciência e pensando: “hoje dou uma lição nesses caras!” Passados esses contratempos, expliquei para a menina o motivo da minha ligação, os tais 4,90 a mais na fatura da mensalidade do provedor. Ela pediu que esperasse um momento enquanto verificava! “A essa altura eu só torcia para que ela não inventasse de me transferir para outra atendente!”
Senhor?
Quem faalaaa – gritei por completo impulso.
Denise senhor – respondeu meio assustada.
Respirei aliviado já que pelo menos ainda era a mesma atendente. – Pois não! – Falei com um tom mais ameno e até meio envergonhado.
Só mais um momento que estou verificando!
Esperei mais uns cinco minutos! Pelo menos a cada minuto, minuto e meio ela vinha ver se eu ainda estava na linha, se eu estava bem, se eu precisava de alguma coisa... Finalmente após esse tempo ela veio com alguma explicação!
Continua...

Nenhum comentário: