23 de jun de 2007

Demon Days


Muito vem se falando da inquietude criativa de Damon Albarn, o vocalista do Blur. Meses atrás bastava abrir qualquer revista ou jornal que já havia se tornado habitual ler algum texto relacionado a capacidade criativa do cara. É mesmo, em tempos onde parece não haver mais nada a inventar ou reprocessar, as vezes tenho a sensação que as formas originais de expressão artística se esgotaram mesmo.
Mas eis que a cada tanto aparecem caras como Damon Albarn para sacudir as velhas cortinas empoeiradas dos palcos do rock.
Seu mais novo projeto o The Good, The Bad and The Queen que conta entre outros com o baixista do Clash, apesar de diferente segundo minha opinião soa bizarro.
Mas quero falar aqui a respeito do álbum Demon Days do Gorillaz, outro projeto em que Mr. Albarn contribui. Um álbum que me surpreendeu demais no que diz respeito a originalidade e capacidade de reinventar. Talvez a melhor coisa que tenha ouvido em 2006. Baixem-o, comprem-o, é excelente. Quem gosta de som novo, fresh, e de boa qualidade, este álbum é prato cheio. Tudo bem, não é um disco pra ouvir todos os dias, mas... quase todos. É um exemplar perfeito daquilo que eu e meus amigos João Costa e Daniel Alvim definimos uma vez como “song design”. Em músicas como Dirty Harry, ou Last Living Souls, Albarn e companhia conseguem criar um som que mistura, coral de crianças, violinos horas clássico, horas trilha sonora de desenho animado, hip hop e samplers de old school que se encaixam de uma maneira simplesmente fantástica. Ou em músicas como Demon Days ou Don’t get Lost in Heaven onde se misturam efeitos que lembram chuva, falsetes de Albarn e coral gospel cantando conselhos aos problemas da vida urbana de forma extremamente lírica, de arrepiar – perfeito.
Fico pensando o quanto deve ser difícil criar uma música dessas. Tudo se encaixa de uma forma incrivelmente boa, são recortes, sobreposições, texturas, fundos, colagens – arte contemporânea na sua melhor forma e tudo isso com uma pitada de ingenuidade do universo infantil criado pela identidade da banda - um desenho animado. Mas diferente do primeiro álbum do Gorillaz, Demon Days é um álbum adulto que recria uma atmosfera londrina, da Londres multicultural, das misturas de um lugar onde convivem milhares de pessoas de culturas diferentes.
Poderia falar por mais uma ou duas páginas, mas minha opinião esta registrada. Prefiro deixar a continuação por conta de quem se sentir estimulado pelo tema.
Mas, dica de amigo – ouça Demon Days do Gorillaz.
Grande abraço.

Nenhum comentário: