4 de mai de 2010

Lógica Portuguesa

Quando se tem pouco tempo e/ou falta de assunto pra esse blog, se vem pra cá e coloca coisas emprestadas. Mas vá lá!

Nesse momento onde temos de retornar nossa atenção à lingua portuguesa para aprender o novo código ortográfico, que tal dar uma observada em alguns detalhes culturais também? Ainda acho nossa pronúncia, mais limpa, mais aberta que os de além-mar (vai hífen ou não?), mas hei de concordar com o conteúdo desse texto que recebi (pelo menos na parte que aqui está, apesar de ainda não confiar totalmente na lógica deles: acho que eles de vez em quando distorcem coisas que podiam ser entendidas por osmose. Na minha opinião, nós devíamos pegar um pouco dessa "disciplina" pra se comunicar e pra viver - ou seja, deixar de tanto rolo - e eles podiam ser um pouco mais espertos com algumas coisas).

A propósito, se aprovarem a Lei ficha Limpa, soltaremos um foguete virtual aqui!

******


Brasileiro faz piada com português por não entender que os dois povos têm lógicas diferentes. O português é mais literal, cultiva um preciosismo de sintaxe. Veja só:

Uma brasileira dirigia por Portugal, quando viu um carro com a porta de trás aberta. Solidária, conseguiu emparelhar e avisou:
- A porta está aberta!
A mulher que dirigia conferiu o problema e respondeu irritada:
- Não, senhora. Ela está mal fechada!

Outro brasileiro estava em Lisboa e numa sexta-feira perguntou a um comerciante se ele fechava no sábado. O vendedor respondeu que não. No sábado, o brasileiro voltou e deu com a cara na porta.
Na segunda-feira, cobrou irritado do português:
- O senhor disse que não fechava!
O homem respondeu :
- Mas como vamos fechar se não abrimos?

Há ainda a história de um que morou por um ano em Estoril e contou que lá num certo dia, meio perdido na cidade perguntou ao português:
- Será que posso entrar nesta rua para ir ao aeroporto?
- Poder o senhor pode, mas de jeito algum vai chegar ao aeroporto...

(vai ser detalhista assim lá na ***!)

Um turista brasileiro alugou um carro e decidiu ir à Espanha. Tomou uma estrada sem muita convicção e encontrando à beira da estrada um camponês, perguntou:
- Amigo esta estrada vai para a Espanha?
E o camponês respondeu:
- Se ela for vai nos fazer muita falta por cá.

(eu diria que isso é uma mistura de resposta cretina pra pergunta imbecil e ainda com a cara deslavada, mas não, é puramente lógica, ô mente maliciosa!)

Um grupo de brasileiros tendo terminado de almoçar quis tomar café.
O primeiro disse:
- Garçon, um café.
O segundo disse:
- dois, levantando os dedos.
O terceiro, apressadamente, disse:
- Três, e por fim o quarto disse:
- Quatro.
O garçon trouxe 10 cafezinhos. Ao ser indagado por que trouxera tanto café para quatro pessoas, ele respondeu:
- Ora um pediu um, outro dois, outro três e o outro quatro faça a conta e vejam se não são 10!!

(isso sim se chama prestar atenção!)

O casal de brasileiros entra num restaurante na rua do Diário que tem uma vista bonita para o rio e pergunta:
- Podemos sentar naquela mesa que tem a vista para o rio?
No que o garçon responde:
- Acho melhor os senhores sentarem nas cadeiras!!!

(essa é a típica piada que fazemos, das sem graça por sinal, mas eles levam isso a sério!)

Mais uma:

O brasileiro examina o cardápio em um restaurante de Lisboa e chama o garçon para tirar uma dúvida.
- Amigo, como é que vem este Filé à Moda da Casa?
Ao que o garçon responde sem pestanejar
- Sou eu mesmo que trago


*****

Quem me mandou essa foi minha amiga Fabi. =D

Um comentário:

Leandro Daros disse...

heheheh, ótimo!