13 de ago de 2007

A polêmica do Estadão contra os Blogs

Há cerca de uma década existe um livro chamado The End of Print, do designer David Carson , além do seu desgn que ditou forte tendência na década de noventa (aqueles visuais radicais, sujos e extremamente cool que é muito usado por jovens, especialmente em esportes radicais) `profetizava´ que com o advento da informática, a imprensa tradicional sumiria. Não se cumpriu, inclusive um dos papéis da informática, que seria reduzir a quantidade de papelada nos escritóros na prática não se comprovou, alguns até dizem que agora se imprime mais que antes...Mas a presença cada vez mais forte dos blogs veio colocar mais caldo pra essa sopa:

Vi na TV: mulheres falando sobre homens… e tascam a pérola: “homens ruivos e com aparelhos nos dentes têm mais chance de ficarem ricos”. Tiraram essa verdade dos blogs de dois garotos ruivos e que usam aparelho dentário. Conclusão: blogs são fontes não confiáveis de informação. Essa é uma campanha do portal Estadão que está causando buzz gigantesco na blogosfera brasileira. É só ver a capa do Rec6 deste Sábado para se ter uma idéia do que estou falando. Pelo menos 11 textos das 20 entradas possíveis referem-se à polêmica que a campanha causou.

Isso claramente mostra o medo que a mídia tradicional centenária - o jornal Estadão está por aí desde o século XIX - tem da democratização da distribuição da informação. Hoje todo mundo pode ter um blog. Antes de Gutenberg o domínio do que era publicado ficava nas mãos da Igreja. Só ela possuia os recursos para pagar escrivãos, ou seja lá como se chamavam os que escreviam. No Egito antigo o cargo de escriba tinha status gigantesco. Publicar algo era caro. Caríssimo.

Gutenberg veio e diminuiu os custos. Mais pessoas puderam publicar. Ainda era caro, mas muito mais fácil divulgar livros e jornais com tiragens grandes. Foi em algum lugar, por esta época, que surgiu o Estadão. Agora vieram os blogs e o conteúdo colaborativo . De novo, os custos de publicação caíram. Só que desta vez para quase zero. Sem contar que o advento do adsense tornou possível a monetização destes sites. Agora todos são publishers e todos são anunciantes.

Não culpo o Estadão por morrer de medo dos bloguinhos. Hoje com um blog gasta-se poucos reais ao invés de milhões para ter alcance global. Imprimir está fora de moda. Claro, é necessário qualidade para sobreviver na multidão. E a blogosfera tem mostrado qualidade de sobra. Isso dá um medão no Estadão. Ah, homens japoneses que possuem blogs de tecnologia têm mais chance de ficarem ricos do que ruivos de aparelhos…

Texto de Alexandre Fugita (http://www.techbits.com.br/2007/08/11/estadao-com-medao-dos-blog-inhos/)

Saiba mais em:
http://www.brainstorm9.com.br/archives/2007/08/campanha-do-estadao-contra-os-blogs.html

2 comentários:

Turiassu disse...

Que tem muito blog "chumbrega" por aí, isso tem. Mas afinal de contas, vivemos em um país livre, podemos nos expressar em qualquer tipo de veículo de comunicação.
Cabe ao leitor, ouvinte ou telespectador, ter a visão e senso crítico para escolher o que lhe for mais coerente com sua visão de mundo.

Marcos disse...

Na real, o que acontece é que existem comunidades que contratam jornalistas free-lancers pra cobrir determinado assunto, por exemplo uma guerra num país vizinho. Eles pagam, o cara fornece informações sob medida à necessidade dos caras (recebe, lógico) e coloca num blog, que é uma mídia baratíssima. Isso é o que preocupa os jornais. Mas ainda acho que tem espaço pra todos, mas como vc falou, se não tem credibilidade... o que um Estadã da vida não vê é que a população hoje é muito maior que antigamente, e que há espaço pra todos...ou apenas quis criar uma polêmicazinha ( afinal, eles mesmo têm blog )