22 de jun de 2007

Pé na estrada

Sempre fui muito interessado pelas diferenças culturais, pelo estilo de vida de diferentes povos, dos fatores que circundam estes povos e que os fazem serem diferentes uns dos outros. As diferenças sempre me atrairam, o modo de falar, a fisionomia dos rostos, a cor dos olhos, da pele, a forma de se expressar. Sempre quis viajar, botar o pé na estrada, conhecer o mundo, vivenciar pessoalmente essas diferenças que sempre alimentaram minha mente. Ver as coisas com meus próprios olhos, já estava cansado de ler o ponto de vista de outras pessoas que escrevem um texto em uma revista ou de algum amigo que também ja viajou. Sempre tive certeza de que a minha interpretação sobre as coisas seria diferente. E são, e a sua também será.
Mas botar o pé na estrada para mim, era algo muito distante, principalmente no que dizia respeito ao ponto de vista finaceiro. Se você planeja uma experiência no exterior vai ver que isso requer um certo esforço, muitas vezes árduo, principalmente do ponto de vista financeiro. Além disso vai ver também que sair do seu lugar significa deixar para trás uma série de coisas, ou até mesmo romper com outras – relacionamentos, emprego, família, amigos, confortos - e isso em muitos casos pode ser mais assustador e difícil do que o fator financeiro. Sem contar que cada ida e vinda significa um novo começo, e acreditem, gasta-se muita energia para começar e recomeçar. Por outro lado este é um momento mágico, comparado a um renascimento, ao seu próprio renascimento. É um raro momento onde pode-se substituir a carapaça antiga cheia de vícios e preconceitos que muitas vezes nos engessa, por uma nova onde temos total livre arbítrio, e um caminho novo pela frente. Fora do seu lugar você vai começar uma vida nova, do zero onde na maioria das vezes as coisas vão depender apenas, e exclusivamente de você. Mas isso nao é problema - tudo passa a acontecer quando você se compromete a providência dos fatos.

Nenhum comentário: